Quero Sal…

…em tudo, um pouco!

Seria eu o Policarpo Quaresma na Disney? – (Florida Parte VI) 13 de janeiro de 2011

Filed under: EUA — ... @ 23:35

Humor do dia: Eu to perdida. Censura: Para os chatos que vão amam a Disney

No meu penúltimo dia na Florida decidi ir para Orlando na Disney. Não tinha o menor desejo de ver o chato do Mickey, mas meus novos amigos de vida mochileira decidiram comprar um cruzeiro para Bahamas de um dia. Eu não poderia ir, pois meu visto  precisaria de uma validação com antecedência de um mês. Triste, fui no Bayside de volta nos vendedores de passeios pela Florida (posts anteriores) e comprei meu ingresso por um dia com direito ao ônibus.

Sim, nada de avião. Acordei às 3 horas da madrugada e esperei o ônibus. Paguei cerca de 150 tudo. O vendedor latino, gordinho e até simpático, toda vez que me via no Bayside vinha todo alegre falar comigo. Mais uma vez ele deu-me carona até o ponto de ônibus com conexão a Disney.

Nesta tempo, conversou comigo. Apresentou-se como latino e germânico. Uma mistura engraçado. Um tanto quanto gordo, com 23 anos e uma filha de quase um ano. Separado, a mãe da criança abandonou a filha com o pai de primeira viagem. Será a mulher ameicana? Sem julgar raça, mas as americanas adoram abandonar tudo e deixar os filhos com o marido.

Simpático e já querendo um date (encontro) comigo, pegou meu facebook. Não estava tão empolgada, mas passei, eu moro em New Jersey e ele na Florida, nunca mais irei vê-lo na minha vida. Adoro encontrar pessoas que nunca mais irei ver, posso fazer tantas coisas e nunca ter conciência pesada.

Ele contou nunca ter feito nenhum daqueles passeios que ele próprio vende. Achei tão triste. Como pode?  Nem mesmo para a Disney.

Nem tudo é certo como parece

Descobri na ida para Orlando, que o mesmo ônibus que leva os turístas serve como transporte de passageiros qualquer. A passagem do ônibus municipal é muito cara, asism as pessoas compram este, o que atrasa a viagem. Para mim, a pessoa sem vontade de ficar dias na Disney, foi o suficiente bom.  

Hollywood Park

Quando fui comprar meu ingresso (não me pergunte por quê) eu comprei para o Hollywood Park e não para o Magic Kingdon. O vendedor gordinho disse que eu tinha direito a apenas um parque e assim fui eu triste em pensar que não viria o chato do Mickey.

Devo ter o coração duro, devo ser mais forte do que penso. Não consigo viver aquele mundo de fantasia. Nunca acreditei em Papai Noel, nunca gostei de coelinho da Páscoa e sempre achei idiota contos de fadas. A Disney é um mundo de fantasia e eu não sou disso, sou da realidade. Rá, será por isso que fiz jornalismo? Brincadeiras a parte, fui no Hollywood, foi divertido até. Enjuei em dez minutos.

Diverti-me, tirei fotos. Encontrei muitos brasileiros. Almoçei pizza. Engordei. Eram três e meia da tarde e alguma coisa fez-me querer ir ver o Mickey. Então, fui comprar o ingresso. O ônibus voltaria para Miami às 18 horas. Eram quatro horas quando entrei na fila dos ingressos e quatro e meia quando o atendente explicou-me que o meu valia por cinco dias em todos os parques.Claro, o vendedor gordinho em Bayside não faz nem ideia do produto que vende. Como poderia ser, ele nunca foi para lá. Fiquei brava pois perdi um tempo no Hollywood e poderia ter conhecido a casa do Mickey e da Minnei.

Atropelando a criançada

Para chegar no Magic Kingdom (parque dos ratinhos queridos dos americanos) é necessário pegar ônibus e depois um navio. Conclusão cheguei às 17 horas. Não iria conseguir aproveitar o parque. Talvez, por eu acreditar por alguns minutos no mundo da fantasia tive um pouco de sorte. Cheguei bem na hora do show especial de Holidays (Natal e Ano Nov0) em frente do castelo. Já havia começado, mesmo assim aproveitei.

Sai correndo no meio da criançada sentada, em pé e até cheguei a empurrar algumas, mas cheguei bem de frente ao castelo e vi de perto o Mickey a Minnei, o Pateta, o Pato Donalds e todos os outros. Foi bonito, as músicas, o espetáculo. Adorei. Foi fantástico. Irreal, bonito e até fiquei emocionada, senti três lágrimas, por qual motivo não sei.

O castelo não é tudo aquilo mas é bonito e do mundo da fantasia. Para mim foi o suficiente e não preciso voltar para a Disney nunca mais, embora gostaria de ver a cinderela. Porém eu acho muito comércio, fora da realidade e sempre a mesma coisa, o mesmo tipo de atração. É só colocar no youtube e pronto.

Estou velha, deve ser isso. Eu sou ou fiquei muito durona nos Estados Unidos.

Assim, desesperada para pegar o navio para voltar à Miami, tive a oportunidade de ver outro espetáculo na rua do Magic Kingdom.

Cheguei tarde em Miami e toda a magia da Disney foi-se embora. Valeu a pena, posso dizer que já fui lá, mas prefiro uma praia ou uma ilha deserta…thats it.

Agora fala sério. Quem no Brasil realmente gosta do Mickey e da Minnei? Eu só gostava do Pateta e do Pato Donalds.  Acho muito mais criativo e brasileiro a Turma da Mônica, mas ir para Disney em Orlando não é a mesma coisa de ir ao Parque da Mônica em São Paulo. E os status, onde fica? Mas ainda prefiro a Magali do que a Minnei. Serei eu o Policarpo Quaresma?

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s