Que preço paga-se pela imprudência ?

Humor do dia: Congelada. Censura: Para quem achar que estou errada

Hoje inauguro mais uma categoria do meu post “Brasil x Estados Unidos”. Acredito muito no meu país, o que falta  é pensamento coletivo. Os americanos podem ser frios, capitalistas e individualistas enquanto nação, mas o patriotismo e a vontade de “serem os primeiros” os transformam em uma grande máquina (muitas vezes exagerada) do “serem os vencedores, sempre”. Já o Brasil quer crescer no individualismo de cada “foto na coluna social do jornal de domingo”.

Exemplo simples: todos os americanos possuem uma bandeira oficial do país na frente da casa. No Brasil,  mais vale a bandeira do corinthians ou palmeiras nos jogos finais de algum campeonato. Não posso fechar os olhos e dizer “Os Estados Unidos são perfeitos”. Nem posso afirmar que ninguém aproveita da ingenuidade e da classe social, isso acontece também e muito. Porém, alguns detalhes fazem-os grandes. Para explicar isso, começo pelo meu post sobre mortes no trânsito. Independente de tudo, a maioria dos americanos dirigem seguramente para valorizar a vida do próximo.

Quando cheguei nos Estados Unidos tive muito medo de pegar no volante. Tudo é estrada. Na maioria das cidades (não conta NYC, Washington D.C etc..) tudo é longe, os supermercados, academias, escolas. Achei estranho,mas percebi não ter aquele trânsito de duas horas na Marginal Tietê, ou quem sabe 3, 4 horas.

As estradas são largas e conservadas. Os motoristas respeitam os sinais, pedestres, ambulância etc.. Sempre tem, é claro, um engraçadinho.  Mas a regra é clara e todos obedecem. Adoro ver quando uma ambulância passa e todos os motoristas dão espaço e param totalmente o carro. No Brasil os motoristas nem percebem a necessidade de dar espaço para o resgate passar.

Mulher no volante não é perigo constante

Aspecto cultural. Os americanos são criados para serem independentes sempre. No Brasil, um pai de família classe média, não pode comprar um carro para os filhos, e esses não comprar por ser muito caro (nos EUA, um jovem de 17 anos compra um carro usado até por 800 dólares). Porém, este não é problema principal, e sim a forma machista de algumas famílias.

Nos EUA é comum mulher dirigindo ônibus, caminhão. No Brasil não lembro de ter entrado em nenhum ônibus com mulher no volante. Foram raras as vezes que vi homem dirigindo os busões americanos. Já na visão paternalista enquanto o menino aos 17 anos já começa a aprender a dirigir com o pai, enquanto ensina-se para a garota que dirigir na estrada é muito perigoso, muito mesmo, então é para ter-se medo e entrar em pânico em situações de risco. Eu entrei em pânico duas vezes dirigindo na neve, do que adiantou?

As próprias autoescolas ensinam errado no Brasil. Não dão a menor noção de mecânica, embora seja requisito para tirar carteira de motorista. Lembro que meu instrutor não deu essas aulas por achar a turma muito “faladeira”. Detalhe: Na minha sala (há alguns anos atrás), os meninos começaram a dirigir aos 15 anos e algumas vezes, de acordo com eles, haviam bebido cerveja.

Nos EUA também é muito fácil tirar carta, com a diferença que todos  levam a sério as leis.  New Jersey é considerado um dos piores estados para dirigir devido a falta de paciência dos motoristas. Com autoridade digo ser verdade, porém o lado positivo: não há tantos acidentes de carro, não há tantas mortes.

Morreu em acidente de carro?

Não digo impossível, mas morrer em acidente de carro não é tão normal como nas estradas brasileiras. Muitas vezes nem isso, em uma simples ruela há mortes pela imprundência dos motoristas. Lembro-me com muita tristeza da véspera de Natal de 2009. Voltava com meu amigo de xxxx (SP) para yyyyy (SP) quando vimos um fogo alto. Passavamos pelo corte do pedágio (pelo bairro de Helvétia), estavamos na altura da casa de um famoso dono de uma rede de hipermercados quando brinquei “Nossa a casa dele está pegando fogo”. Meu amigo disse. “Nesse caso não temos com o que nos preocupar”.

Chegando perto, a fatalidade. Duas moças em uma moto e um carro velho. A moto voou, bateu no poste e pegou fogo. Em poucos minutos o corpo todo carborizado, cena forte e triste. A outra moça sofreu algums ferimentos leves. O motorista do carro tentou fugir. Foi comprovado estava muito embriagado.

Esse tipo de acidente não acontece nos Estados Unidos e se acontecer é caso nacional com julgamento em escala mundial (se  duvidar). No Brasil é só mais um número para as estastística. Infelizmente no meu pais há imprudência, falta de reparos nas estradas e uma lei fraca.

Alguns colocam a culpa só nas leis. Porém digo a educação (não aquela adquirida na escola), a responsabilidade como cidadão e a falta de pensamento coletivo faz das estradas brasileiras um filme de terror. Respeito as leis, aos sinais, ao pedestres e até mesmo ao ciclistas. Onde foram parar? Nunca existiu.

Nossas estradas também precisam de investimemos, ampliação e  reparos, o que ajudariam a diminuir o acidentes. Será que os responsáveis pelas estradas, ruas, vielas etc..nunca desconfiaram do problema? Creio que entre eles, muitos já devem ter viajado para fora do país, o que significa conhecer demais estradas, poderíamos tentar copiar algum modelo de fora, o investimento financeiro pode ser alto, mas o não crio ser impossível. Nosso país copia filmes, moda, música, tendências, por que não copiar ou usar como modelo a infraestrutura das estradas de fora?

Muitos engenheiros saem do Brasil para trabalhar em outros países. Isto significa falta de interesse em melhorar a própria casa. Infelizmente por hoje os Estados Unidos ganha na minha concepção.

EUA 1 x Brasil 0

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s