Quero Sal…

…em tudo, um pouco!

Hospital nos Estados Unidos 13 de dezembro de 2015

Filed under: Brasil,Revelações pós. — ... @ 23:35

Na verdade retirei este texto do meu outro blog: https://queropimentablog.wordpress.com/

O tema original é: Hospital no Japão: bom ou ruim? Achei legal compartilhar aqui também para ter-se uma ideia de hospital no Japão, USA  e Brasil.

Para multimídia completa é necessário acessar o site QueroPimenta.

___

Não tenho como falar sobre hospital no Japão sem fazer comparações. Conheço muito pouco sobre sistema de saúde no mundo, até mesmo da minha terra natal (Brasil). Já morei nos Estados Unidos e, agora, estou no Japão. Vamos lá:

No Brasil existem planos de saúde e atendimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Planos de saúde bons são caros; o SUS é ruim, lotado, médicos desinteressados pelos pacientes. Enfim, apesar de tudo isso, ainda tem opção gratuita, que em algumas cidades ainda são melhores.

Nos Estados Unidos não há nada gratuito, paga-se tudo. Uma opção para quem não pode pagar pelos custos do hospital é ir aos hospitais das faculdades. Paga-se, mas um preço mais em conta.

No Japão não há nada gratuito também, uma opção é aderir um plano de saúde da prefeitura da cidade onde reside-se. Chama-se kenkou hoken, que cobra uma pequena parte.

Para quem é estrangeiro morando temporariamente no Japão, vale a pena fazer um seguro internacional. É o que fiz. Isso significa que algumas despesas são pagas, cobertura em caso de morte, etc..Doenças crônicas ou consultas ginecológicas são outros exemplos que não possuem cobertura.

Geral 

O Brasil perde para o Japão e para os Estados Unidos em limpeza, segurança, facilidades e respeito médico.

Nos Estados Unidos os hospitais tem salas separadas para crianças e adultos. No Brasil, principalmente no SUS ou hospitais menores, é comum ver aquela fila, bebê ao lado de idosos, doentes ao lado de todo mundo e assim vai.

Para começar, os Estados Unidos tem hospitais só para crianças e adolescentes. Quando são no mesmo prédio, as alas são todas separadas.

No Japão ainda não tenho estes detalhes, mas todos os funcionários usam máscaras, tem loja de conveniência dentro, é tudo muito limpo, pouca fila, atendimento rápido, etc.. O que mais chamou minha atenção até o momento é que ao “abrir” o hospital logo cedo, todos os funcionários (chefes, diretores, médicos, atendentes, enfermeiros, faxineiros), se reúnem para recepcionar os pacientes.

Em um anúncio falam quantos leitos estão disponíveis, quem são os médicos do dia, novidades no hospital e outras coisitas.

Médicos. 

O Brasil tem muitos médicos e bons. O problema é que a maioria dos médicos vem de uma elite, ainda focada em um “Brasil colônia”. As faculdades de medicina no Brasil são boas ou razoáveis, mas os médicos (em minha opinião) fazem diferença por classe social.

No Estados Unidos, os médicos não fazem essa diferença. A formação deles é excelente. Não vejo nada de errado.

No Japão, a medicina é muito avançada, assim como nos Estados Unidos. Contaram-me que nos hospitais, antes de iniciarem uma cirurgia (Japão), faz algum tipo de oração para que dê tudo certo.

As cirurgias são filmadas, para ter certeza que o trabalho está sendo bem feito, sem erro e com respeito pelo paciente.

Agora, não sei se é verdade, mas já ouvi dizer, que alguns cursos tem poucas aulas práticas, por isso muitos estrangeiros ficam com medo dos médicos no Japão.

Link:

 

 

Imigração e Alfândega no aeroporto de Narita 11 de dezembro de 2015

Filed under: Sem categoria — ... @ 23:35

Pessoal, vou republicar aqui um conteúdo do blog https://queropimentablog.wordpress.com/

O QueroSal é sobre a vida nos Estados Unidos e o Quero Pimenta sobre a vida no Japão. Este artigo é para terem uma ideia do processo de imigração no oriente. Comentem…

 

As poucas vezes em que fui para os Estados Unidos, fiquei com muito medo da imigração e alfândega. Já havia visto pessoas chorando, indo para salinha de investigação e até voltando para casa. O processo no aeroporto da terrinha americana é bem diferente de outros países, até do Japão que também é um país de primeiro mundo.

Ao chegar no aeroporto de Narita (Tóquio – Japão), uma funcionária falando em inglês/japonês viu meu passaporte e me colocou na fila B da agente da imigração. Não falo nada de Nihongo (japonês) então a atendente da fila B mando-me pegar outra fila.

Aquela mesma funcionária falando em inglês/japonês me deu um papel e pediu para eu sentar. Em questão de 20 segundos mandou eu pegar uma outra fila. Novamente, tudo errado! Este outro agente não sabia também falar inglês e perguntava algo. No final, chamei um brasileiro que conheci no avião. Ele traduziu e a única pergunta feita foi: “Quem é japonês, seu pai ou sua mãe?”.

No aeroporto dos Estados Unidos perguntam muitas coisas, por exemplo, quanto de dinheiro você está levando, passagens de ida e de volta, endereço de estádia, conhecidos, o que faz no Brasil, o motivo pela viagem, só falta perguntarem a cor da sua roupa de baixo.

No Japão foi bem simples. Agora, basta saber se para cada pessoa é diferente. No avião preenchi o formulário de alfândega e de imigração. Nada de especial: nome, nascimento, profissão, algo a declarar e endereço.

Após isso, busquei a minha mala que seria passada por scanner, mas não passou. Apenas malas suspeitas é que são abertas ali mesmo, na frente da galera.

Para mim não houve nenhum problema e a imigração japonesa foi bem simples. Na verdade, bem bagunçado também, já que não sabiam para que fila eu deveria entrar…mas japoneses são bem atrapalhados mesmo.

 

 

U-HUAL estou brava 11 de janeiro de 2015

Filed under: EUA,Vida — ... @ 23:35

Humor do dia: Brava. Censura: Homens.

Por que os homens são tão bagunceiros e de quem é a culpa deles serem assim? Para mim, a culpa é da mãe, que em qualquer sociedade, só cobra da filha. O homem é o bicho mais preguiçoso do mundo, sujo e porco. Estou cansada disso, meu namorado idiota está com um cara que ele nem conhecia em casa. O cara veio da Austrália para os EUA e não tinha aonde ficar, os dois são porcos.

Estou tentando fazer uma casa melhor para morar. No Natal meu namorado foi na casa da família dele, e alugamos um U-HUAL. Você aluga um caminhão, do tamanho que quiser e pode ir para qualquer cidade. Depois é só devolver em um ponto pré-determinado. Trouxemos uma mesa para cozinha e um sofá.

O apartamento é tão pequeno, na verdade cabe apenas uma pessoa. Estamos em três, sem privacidade alguma e morando no meio do lixo. Odeio os homens, sério, eu não quero me casar. É muito ruim essa vida de escrava de homens folgados e porcos.

Para quem quiser saber mais sobre UHUL

http://www.uhaul.com/

 

Loja de móveis nos Estados Unidos 9 de janeiro de 2015

Filed under: EUA — ... @ 23:35

Humor do dia: Cansada. Censura: Não há. 

No final de semana passado conheci uma nova loja americana, a IKEA. Deveria ter uma dessas no Brasil. Móveis lindos e acessíveis.

Ao entrar na loja você tem que percorrer todos os corredores, querendo ou não. Tem móveis para todos os cômodos da casa. Ah, dentro tem um restaurante, mas a comida era tão ruim…

http://www.ikea.com/us/en/

 

As pessoas em Washington DC são mas inteligentes 1 de janeiro de 2015

Filed under: Brasil x Estados Unidos,EUA,Vida — ... @ 23:35

Humor do dia: Nenhum. Censura: Nenhuma. 

Nos Estados Unidos, assim como no Brasil, podemos encontrar diferentes tipos de pessoas. Na faculdade estudei que não podemos julgar um povo pelo local aonde ele mora, que é hipocrisia dizer, por exemplo, que as pessoas que moram em países frios são mais inteligentes do que as pessoas que moram em países quentes.

Porém, de certa forma, a localidade importa sim. As pessoas que conheci quando morei na Califórnia eram bem superficiais, eu até gostava. Era legal ver as pessoas lutando por um corpo legal, por estarem na moda, por serem um pouco mais “cool”. Tudo bem que havia o lado ruim, que para mim era ver adolescentes agindo igual “little hore”, etc…

Já em New Jersey encontrei famílias interessadas em mantér um laço tradicional (diferente do Brasil, mas ainda assim mais conservador). Lógico que as pessoas não eram tão burras, mas havia muito comentário idiota, que fazia as pessoas serem burras.

Comentários do tipo “Buenos Aires é no Brasil”, “os brasileiros falam espanhol”, “no Brasil só existem negros”, entre outros. Agora, em Washington DC, a coisa é bem diferente. A maioria das famílias eram muito ricas, embora fosse possível encontrar pessoas mais simples.

Até o momento encontrei pessoas com alto nível de escolariedade e bem informadas, entretanto, elas são bastante republicanas. Tenho até raiva disso, como os americanos republicanos são idiotas (desculpe-me pela palavra, mas não existe nenhuma outra palavra para definir).

Protestos

Nos últimos meses os noticiários têm falado sobre os protestos da população americana contra os ataques dos policiais sobre os negros. É bem verdade que o negro americano tem a personalidade muito diferente dos negros brasileiros. É bem real também, que os negros foram escravizados e excluídos da sociedade.

Tenho visto muitos negros na região de Washington DC, muito mais do que em NYC (sem considerar os bairros “destinados” a eles). Como não poderia deixar de ser, eles também são vistos como o “bad boy”. Não é só no Brasil que as pessoas acham que um negro é um assaltante, aqui também! Sabe, o preconceito está em todo o lugar do mundo.

A única coisa que gostaria de entender melhor, é o porquê dos negros americanos serem tão diferentes. Tenho comigo que eles são mais esquentados que os negros brasileiros. Do tipo, se falar algo que eles não gostem, eles respondem mesmo, fazem barraco e roda o samba.

Brincadeiras a parte, não consigo entender porque os americanos não podem ser menos racistas, se a sua própria população é negra no coração. Acredito que muitos já desejam até a morte de alguém lá no poder….Se é que vocês me entendem.

 

 

Homens são iguais em todo lugar do mundo

Filed under: Brasil x Estados Unidos,Vida — ... @ 23:35

Humor do dia: Nenhum. Censura: Nenhuma.

Nenhum homem do mundo tem a inteligência de uma mulher. Como todos sabem estou morando por alguns poucos meses nos Estados Unidos e tenho toda a certeza que nenhum homem vale a pena. Depois do meu intercâmbio fiquei com um pensamento na cabeça “os homens americanos são muito melhores do que os homens brasileiros”.

Isso é irreal, isso pode vir das brasileiras casadas com os americanos porque elas querem ficar nos Estados Unidos e provar algo (o que, eu não sei). A verdade é uma só, eles são tão idiotas quanto qualquer outro homem do mundo.

Um amigo do meu “namorado” americano ficou aqui em casa alguns dias. Tudo bem que o cara é super novo (tem apenas 22 anos), mas o cara é um tonto. Assim, ele é simpático, conversa melhor que os homens americanos e até parecem muito mais com os homens brasileiros.

Só que, como tudo que é bom dura pouco….O cara ficou aqui de graça, comeu de graça e não ajudou a lavar uma louça. Deixou o chão todo sujo de comida e papel. As roupas dele estavam espalhadas por todos os cantos e o banheiro então…nem se fale….

Eu tenho comigo que isto é um pouco do homem. Acho que todo homem nasce idiota e porco. Ao mesmo tempo, tenho comigo que toda mãe estraga os filhos homens! Por eles serem privados de fazer os serviços domésticos, eles acham que as pessoas tem que ficar limpando, fazendo, arrumando para eles.

As mães são machistas por natureza, elas fazendo tudo pelos filhos homens e cobram só das filhas. Como eu disse, homem nenhum é melhor que o brasiliero. Todos tem na genética a mesma coisa.

 

 

Os números de 2014

Filed under: Sem categoria — ... @ 23:35

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2014 deste blog.

Aqui está um resumo:

Um comboio do metrô de Nova Iorque transporta 1.200 pessoas. Este blog foi visitado cerca de 5.900 vezes em 2014. Se fosse um comboio, eram precisas 5 viagens para que toda gente o visitasse.

Clique aqui para ver o relatório completo